Carrinho  |  Contato  |  Suporte  | 
Atendimento e Vendas 0800-773-2874
e-mail:vendas@br.omega.com

Elaborando uma Política de Proteção de Máquinas

Política de Proteção de Máquinas Uma política de proteção de máquinas constitui parte crítica do programa de segurança de qualquer empresa na qual os funcionários interagem com o maquinário. De fato, de acordo com a OSHA(*), em 2015, foram registradas 12 fatalidades diárias nas indústrias dos Estados Unidos. Dentre as dez principais normas da OSHA, o padrão para "máquinas e proteção para máquinas" foi o que registrou maior número de violações de padrões OSHA(1). É evidente que a política de proteção de máquinas é um importante requisito em qualquer ambiente industrial. Elaborar políticas de proteção de máquinas é algo que pode ser feito com uma abordagem passo a passo, conforme delineado neste artigo técnico.

Princípios Básicos da Proteção de Máquinas

Em primeiro lugar, é importante entender os princípios básicos da proteção de maquinário. De acordo com a OSHA(2), apresentamos a seguir os principais requisitos para a proteção de máquinas.

Evitar o contato direto
É preciso evitar o contato direto entre partes do corpo e partes perigosas da máquina. Deve-se garantir que não haja a menor possibilidade de contato físico intencional entre as partes móveis da máquina e o operador.

Segurança
Dificultar a remoção de guarda-corpos, visto que há a tendência natural de o funcionário remover a proteção caso ele/ela ache que trata-se de algo inconveniente.

Proteção contra queda de objetos
É preciso garantir que nenhum objeto poderá cair sobre as partes da máquina. Porcas e parafusos ou pequenas ferramentas podem se tornar objetos potencialmente perigosos caso caiam sobre a máquina.

Evitar a criação de um novo perigo
A proteção de máquinas não poderá criar um novo perigo, tal como redução da visibilidade ou quinas vivas que poderiam, potencialmente, se tornar fonte de perigo para o operador.

Sem interferência
O guarda-corpo não poderia dificultar ou atrapalhar a execução do trabalho programado.

Permitir manutenção
Deve ser possível executar manutenção básica tais como lubrificação sem retirar a proteção.

Conforme definido pela OSHA, há quatro categorias principais de proteção para máquinas que podem ser usadas para atender aos requisitos acima.
Filling Machine
As partes móveis de uma embaladora podem ser fonte de acidente se não houver a devida proteção, por exemplo, botões liga/desliga.

Partes fixas
Partes fixas ou características da máquina, tais como tela, barra, chapa ou outro tipo de tapume.

Partes intertravadas
Qualquer característica que dispare um mecanismo de parada, ao ser aberta ou removida, utilizando qualquer quantidade de dispositivos para detectar o requisito de parada.

Partes ajustáveis
Qualquer característica da máquina que permita flexibilidade na instalação ou configuração, a fim de se ajustar à altura do operador ou à tarefa que está sendo executada.

Autoajustável
Qualquer mecanismo usado para ajustar, por exemplo, o diâmetro de uma abertura, enquanto o produto se move pela máquina.

Detectando uma situação de perigo

Em geral, a proteção de máquinas é feita com a utilização de itens de segurança, tais como um tapume ou dispositivo que dispara uma resposta de parada. No entanto, há outros dispositivos que podem ser usados para detectar uma situação de perigo e parar o movimento da máquina. Esses podem ser:

Célula fotoelétrica
Assim que o feixe de luz é interrompido, a máquina para. Um exemplo típico disso é o portão eletrônico de uma garagem.

Radiofrequência
A máquina para assim que determinado campo elétrico (por exemplo, em um capacitor) for interrompido.

Eletromecânica
Interrupção (ou conexão) de contato elétrico assim que for atingido determinada situação de perigo.

Impedimento/restrição
Cabos ou tiras anexados aos braços ou às mãos do operador, limitando seus movimentos em função da ação da máquina.

Controle com as duas mãos/desarme
São necessárias ambas as mãos para ativar determinado controle, a fim de fazer o equipamento funcionar. Isso evita que a máquina opere sem que o operador esteja na correta posição de segurança.

Treinar os operadores é parte indispensável da política de proteção de máquinas. Todas as diretrizes e aspectos de segurança não vão ajudar em nada se o operador não souber como colocá-los em prática! Os elementos-chave de um programa de treinamento eficaz são:
  • Descrição e identificação dos riscos de cada máquina.
  • Aprender a usar cada um dos guarda-corpos.
  • Encontrar a alternativa mais adequada, caso determinado guarda-corpo seja danificado ou deixe de funcionar adequadamente.
  • Entender as condições para a remoção dos guarda-corpos (por exemplo, por ocasião de manutenção durante a parada da máquina)..
Tendo em vista todos os requisitos acima, é útil ter um guia bem claro sobre como elaborar uma política de segurança para determinada máquina. As informações a seguir mostram como elaborar essa política.

Elaboração de Política de Proteção de Máquinas

Há diversos componentes de uma boa política de proteção de máquinas (3, 4), muitos dos quais são itens-padrão de uma boa documentação, porém, vale a pena mencionar cada um deles aqui. Um esquema de política de proteção de máquinas deve incluir:

1. Histórico de Revisões
✔ Registre a data, destaques das mudanças e identifique a revisão de forma precisa.

2. Objetivo e Escopo
✔ Uma "declaração de missão" para o documento, destacando a segurança, mas, também, delineando as especificidades relacionadas ao negócio da empresa.
car engine crankshafts
Perigo potencial: Eixo do motor de um automóvel.

3. Papéis e Responsabilidades
✔ Gestão
✔ Administrador
✔ Supervisores
✔ Operadores de máquinas
✔ Equipe de manutenção

4. Diretrizes para Segurança de Máquinas
✔ Diretrizes gerais sobre a segurança da máquina, em conformidade com os requisitos OSHA listados anteriormente e adaptados ao ambiente específico (químico, médico, industrial, etc.).

5. Inspeção da Máquina
✔ Políticas (por exemplo, frequência)
✔ Procedimento
✔ Treinamento e normas

6. Treinamento – conforme acima, mais:
✔ Função e uso do equipamento de proteção
✔ Repetir o treinamento toda vez que houver alteração de designação, equipamento ou guarda-corpo.

7. Análises Periódicas
✔ Avaliação da eficácia do programa de segurança
✔ Atualizações para novos equipamentos ou processos

8. Arquivo de Registros
✔ Para fins de segurança e conformidade

9. Marcações de Segurança/Perigo
✔ Em conformidade com as normas
✔ Devem ser consistentes, a fim de maximizar o impacto e a eficácia

10. Auditoria de Proteção de Máquinas
✔ Lista de verificação dos requisitos
✔ Lista de verificação de riscos no local de operação
✔ Lista de verificação de riscos com eletricidade
✔ Lista de verificação de riscos mecânicos

11. Lista de Proteções de Máquina
✔ Lista contendo orientações para guarda-corpos específicas para cada tipo de equipamento

12. Relatório de Avaliação Anual
✔ Procedimentos analisados
✔ Procedimentos modificados
✔ Procedimentos adicionados
✔ Registro de danos físicos operacionais (formulário OSHA 300 ou similar)

Além das inúmeras diretrizes práticas OSHA para a elaboração de políticas de proteção de máquinas (1, 2 e 3), há modelos disponíveis (por exemplo, 5) que podem ajudá-lo a seguir alguns ou todos os passos necessários para a elaboração de uma rica política de proteção de máquinas.

Resumo

São muitas as exigências para políticas de segurança de qualquer empresa, porém, quando lidamos com máquinas, essas políticas têm o objetivo específico de manter um ambiente seguro para os operadores. Assim sendo, diretrizes claras como as que acabamos de disponibilizar neste artigo técnico, bem como os padrões OSHA, podem ser ferramentas úteis para qualquer empresa que deseja formular uma política de segurança de máquinas.

ARTIGO
Faça o download do artigo sobre
Política de Proteção de Máquinas
Política de Proteção de Máquinas | Referências Técnicas
Elaborando uma Política de Proteção de Máquinas Lista de Verificação para a Segurança de Máquinas: Aspectos... Diferentes Tipos de Relés: Mecânicos, SSR, Internos ou Externos